You are here
Home > News > Cinema > Crítica | JObs

Crítica | JObs

Steve Jobs e Ashton Kutcher

Acabei de assistir JObs e a única palavra que me vem a cabeça sobre o filme é: “estranho”.

JObs não é um filme de todo ruim, como muitas críticas vêm trazendo, mas está muito longe de ser um bom filme. Roteiro e Direção não ajudaram em nada a qualidade do filme.

Apesar das 2 horas de duração, tudo no filme passa muito rápido e não se aprofunda na vida,  na carreira de Steve Jobs ou na Apple e quando tudo termina, fica aquela sensação de que algo está faltando.

Não li a biografia de Steve Jobs, talvez por isso as falhas do filme não tenham me afetado tantão quanto afetaram outros, mas mesmo sem ler senti que ficaram faltando diversas coisas. Um filme de Steve Jobs não pode ser algo tão raso, ele era um cara profundo, e seus problemas não eram todos tão infantis como mostrado no filme.. Muita coisa foi deixada de lado, briga com Bill Gates, apenas um telefonema raivoso de 15 segundos, criação da Pixar e outras coisas que é de conhecimento público, tudo foi esquecido no roteiro.

Steve Jobs era um perfeccionista, nada além do ótimo servia para ele, isso o filme deixa claro, mas só. Desde o começo do longa, tudo acontece muito fácil para Steve, ele tem um probleminha aqui, outro ali, mas tudo passado tão por cima, que na cena seguinte ele já está feliz ou em outro projeto. O filme até tentou mostrar a genialidade de Jobs, mas em alguns momentos parecia até que ele conseguia tudo por meio de magia. Nem sua conhecida filhadaputisse foi bem mostrada, na maioria dos momentos parecia mais um menino birrento.

Ashton Kutcher declarou que para se preparar para o papel, começou a consumir tudo que Steve Jobs consumia, músicas, filmes, roupas e até a alimentação, esta última inclusive, fez com que o ator fosse parar no hospital com problemas no pâncreas. Mas Ashton Kutcher conseguiu pegar muito bem os trejeitos de Steve Jobs, em alguns momentos até enxergávamos o Walden Schimidt alí, mas nada que atrapalhasse. De todo o filme, o que mais salvou foi o Kutcher, infelizmente um desperdício tê-lo nesse filme, gostaria de vê-lo em outro filme sobre Steve Jobs, algum com mais culhões para mostrar TUDO sobre o criador da Apple.

Nos primeiros minutos do filme fiquei sem entender o porque da crítica ao mesmo ter sido tão pesada, o filme começa muito bem, mostrando Steve Jobs mais velho apresentando o IPod, essa parte me ganhou, ficou muito bem feita. Após, vemos Steve na porta da faculdade que acabou de abandonar, quando era jovem e queria mudar o mundo. O filme realmente mostra quase toda vida de Jobs, sua passagem pela Atari, a fundação da Apple Computer, criação, e dificuldades com Lisa e Macintosh, até seu afastamento e a volta para Apple. Só faltou fazer isso direito. SÓ!

O longa tem seu valor, além do Ashton Kutcher estar bem no papel, é bom poder ver a genialidade de Steve Jobs e de como ele lutou pra conseguir tudo. Mas mesmo assim não vale o ingresso do cinema.

Outro filme sobre a vida de Steve Jobs está sendo produzido, Steve Wozniak cofundador da Apple, está dando consultoria para este novo filme que está sendo feito pela Sony.

Se HOJE você quiser ver um filme melhor sobre Steve Jobs, assista Piratas do Vale do Silício. Resumidamente, o filme conta a rivalidade entre Apple/Steve Jobs e Microsoft/Bill Gates. Ótimo filme. =)

Uma crítica meia boca, para um filme meia boca! ;)

Nota 6

 

Bruno Nunes
Bruno Nunes
Gordo, Chato e Egocentrico. Apreciador de Livros, HQ, Mangá, Anime, Seriado, Tecnologia, Música e Podcast. Comentarista de Futebol, Tennis, Volei e Curling, pelo Twitter nas horas vagas e Jogador de Pokémon GO.
http://incontrole.com.br

Obrigado por comentar! =)

Top